segunda-feira, 13 de agosto de 2018

RESENHA: Todas as Coisas Belas


Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Páginas: 262

Sinopse: Você é livre para ser quem quiser — mesmo que isso tenha um preço

Depois de O lado bom da vida, Matthew Quick cria romance para todos que desejam se encontrar Consagrado no Brasil com o best-seller O lado bom da vida, Matthew Quick traz ao público jovem uma ode à liberdade, abordando as complexas questões de identidade que marcam a transição para a idade adulta. 
Aos 18 anos, Nanette O’Hare é a típica boa garota. No fundo, porém, ela nunca se sentiu realmente parte do grupo, sufocando em um permanente desconforto com diversas atitudes das amigas e com os padrões sociais. Mas tudo muda quando, no último ano do colégio, ela ganha um livro de seu professor preferido, o clássico cult O ceifador de chicletes, e fica fascinada com a mensagem de que ela pode ser de fato quem é. Nanette se torna amiga do recluso autor e se apaixona por Alex, um jovem poeta que também é fã do livro. Encantada com esse novo mundo que se abre, ela se permite, pela primeira vez, tomar as próprias decisões. No entanto, aos poucos Nanette percebe que a liberdade pode ser um desejo arriscado e começa a se perguntar se a rebeldia não cobra um preço alto demais

Livro com leitura bem fluída, a narrativa do autor te envolve e você não se dá conta de que leu capítulos  capítulos em uma só sequência. De forma leve o autor aborda questões sobre nossa personalidade. Sobre quem somos e quem queremos ser, sobre uma postura que a sociedade nos impõe e que sem querer nos vemos a adotando para sermos aceitos. Aqui ele mostra, através de Nanette, que sim podemos ser quem queremos, assim que paguemos um preço por isso. Quebrar barreiras internas primeiro são necessárias para podermos ser felizes da maneira que desejamos e não como esperam.  Entender o que somos e como somos é importante para vivermos em harmonia com nosso eu interior, ainda mais nessa fase da adolescência onde um mundo novo se descortina ao terminamos o ensino médio e rumamos para uma vida nova.


Nota: 5/5
Link para o livo: https://amzn.to/2vIzHFa

quarta-feira, 18 de julho de 2018

RESENHA: Jantar Secreto

Editora: Cia das Letras, 2016
Páginas: 360
Gênero: Literatura Brasileira/terror

Sinopse: Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles.

O que esperar de um livro onde 4 amigos do interior seguem para o Rio de Janeiro para estudar e se vêem em apuros ao precisarem arrumar uma grana para pagar a dívida do aluguel? Talvez altas aventuras, seguido de cenas cômicas. Mas, Raphael Montes, opta por algo mais impactante ao trazer como solução jantares secretos com um "toque especial". Eles decidem fazer um jantar secreto e com membros seletos dispostos a pagar um alto valor para arrecadarem o que precisavam. O que eles não previram era que o jantar seria um sucesso e um dos convidados começa a instigá-los  a fazerem mais, pois muitas pessoas estariam interessadas em experimentar a carne de gaivota. Dessa forma, tomados por questões, pessoais, éticas, de ego, entre outras, eles dão sequência a uma série de jantares luxuosos. 
A questão trazida é para se refletir, pois não é algo comum. A forma como o texto é escrito e os personagens carismáticos trazem um outro tom à leitura (que devo dizer é super rápida).  O autor insere sentimentos e características que os leitores podem se identificar e reconhecer como inerentes ao ser humano. É algo chocante e inimaginável. 
O toque final é o plot twist que te faz pensar "Mas como"?? Super recomendo a leitura para quem deseja se aventurar e novos gêneros literários e sair da zona de conforto da leitura.

Gostou e quer adquirir o seu? Confere aqui no link da Amazon: https://amzn.to/2L3CXES
Nota: 5/5 + favoritado

sexta-feira, 29 de junho de 2018

RESENHA: Serafina e a Capa Preta


Editora: Valentina
Autor: Robert Beatty
Gênero: Fantasia
Páginas: 238

SinopseSerafina nunca teve motivos para desobedecer ao seu pai e se aventurar além da Mansão Biltmore. Há espaço de sobra para ser explorado naquela casa imensa, embora ela precise tomar cuidado para jamais ser vista. Nenhum dos ricaços lá de cima sabe da existência de Serafina; ela e o pai, o responsável pela manutenção das máquinas, moram secretamente no porão desde que a garota se entende por gente. Mas quando as crianças da propriedade começam a desaparecer, somente Serafina sabe quem é o culpado: um homem aterrorizante, vestido com uma capa preta, que espreita pelos corredores de Biltmore à noite. Após ela própria ter conseguido – depois de uma incrível disputa de habilidades – escapar do vilão, Serafina arriscará tudo ao unir forças com Braeden Vanderbilt, o jovem sobrinho dos donos de Biltmore. Braeden e Serafina deverão descobrir a verdadeira identidade do Homem da Capa Preta antes que todas as crianças...
A busca de Serafina a levará ao interior da mesma floresta que tanto aprendeu a temer. Lá, descobrirá um esquecido legado de magia, que tem relação com a sua própria origem. Para salvar as crianças, Serafina deverá procurar as respostas que solucionarão o quebra-cabeça do seu passado.

Serafina mora no porão da mansão Biltomre com o pai e ninguém lá sabe de sua existência. As regras impostas pelo pai são levadas a sério por ela, até o momento em que crianças começam a sumir misteriosamente e Serafina intrigada começa a investigar. Neste ínterim ela faz amizade com o jovem Vanderblit, sobrinho dos donos da mansão. Juntos eles tentam descobrir o que está aontecendo e investigam sorrateiramente todos os convidados da mansão.
Essa busca leva Serafina ao interior da floresta, a qual era proibida de entrar pelo seu pai que dizia que ela era amaldiçoada. Porém, por uma circunstância ela se vê dentro da floresta e uma vez lá dentro ela começa a descobrir os mistérios que ela guarda e os mistérios acerca de sua própria vida.
Eu simplesmente amei esse livro, me cativou de início a fim. A forma como o autor conduz a narrativa é cativante e fluída, instigando o leitor a se envolver em todas as questões que cercam a vida de Serafina.

Nota: 5/5 (favoritado)

Quer ler este livro: Acesse aqui pelo meu link da Amazon: https://www.amazon.com.br/gp/search/ref=as_li_qf_sp_sr_tl?ie=UTF8&tag=dant08-20&keywords=serafina e a capa preta&index=aps&camp=1789&creative=9325&linkCode=ur2&linkId=1bd3c462e38a83de07b3d4d76a83efc6



segunda-feira, 21 de maio de 2018

Snowy, meu livro

Olá pessoal!!!!

Hoje venho bem feliz dar boas notícias!!!! O livro que escrevi um tempinho atrás finalmente foi publicado hoje na Amazon no formato ebook para o Kindle!

E qual a sensação, você deve estar se perguntando... Ainda não sei explicar, é aquela de "é isso mesmo? E agora, será que as pessoas vão gostar"?
Acho que é normal bater essas dúvidas e tantas outras, porém, de nada adianta escrever e não espalhar para o mundo ver, certo?

Segue abaixo o link para compra e a foto da capa para vocês conferirem!

Link :www.amazon.com.br/dp/B07D6SRXF3


quarta-feira, 9 de maio de 2018

RESENHA: Perdido em Marte


Autor Andy Weir
Editora: Arqueiro
Páginas: 336
Gênero: ficção científica
Nota: 4/5

Sinopse: Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho. Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate. Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico – e um senso de humor inabalável –, ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá. Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.

Para quem curte livros de ficção científica com uma pegada menos teórica esse é o livro! Acompanhamos aqui a rotina de Mark Watney após ele se recuperar de um acidente e se ver sozinho em Marte. Ele se vê sem comunicação com a NASA e diante de um monte de obstáculos para sobreviver. O que nos prende a essa narrativa é a forma bem humorada do astronauta e a forma como ele desenrola os problemas que enfrenta no meio do caminho. O formato de diário de bordo criado pelo autor, na minha opinião, foi uma excelente sacada para vermos toda a situação pelos olhos de Mark. 
O desenrolar da trama é bem construído e nos deixa tenso em várias situações até o derradeiro momento onde vamos descobrir se ele consegue ou não ser salvo.