segunda-feira, 11 de maio de 2009

Divã

Assisti a esse filme essa semana. Embora eu não seja fã de filmes brasileiros, para esse eu tiro o chapéu, ha ha. Gostei mesmo. Gostei porque fala de inquietações inerentes ao ser humano. Fala de sentimentos realmente humanos. Fala de dúvidas e incertezas que carregamos no nosso íntimo, nos tornando todos iguais. Podemos falar, sem medo de generalizar nem de errar, porque, afinal, quem é que não tem medo de viver eternamente uma vida tediosa? Quem é que não anseia por uma vida mais feliz, mais cheia de realizações e satisfações?
Pois é, a essência desse filme é basicamente essa. Nos testarmos, nos reinventarmos sem medo da mudança, porque muitas das vezes ela é inevitável!

Nenhum comentário:

Postar um comentário