quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Papelaria

Hoje, fazendo hora para encontrar um amigo p/ almoçar, entrei na Casa Cruz, no centro da cidade. Estava abarrotada, diga-se de passagem. Depois me toquei que estamos às vesperas do ano letivo. Ok. Entrei por um lado e saí pelo outro, não dava para ver nada direito. Fui caminhando pela Av. Rio Branco e entrei na Saraiva. Eu IA direto p/ as estantes de literatura (que alías, achei um livro do Jostein Gaarder, q nem sei se é novo, mas eu AMOOO os livros dele). Na entrada algo iluminou-se do meu lado direito: sessão "volta às aulas". Ai genteeee!!! Fui olhar os diversos cadernos (aqui merece uma notinha: babooooo nos cadernos da Jolie, rsrsrs), cadernetas, bloquinhos, diários de viagem, etc. etc. É uma tentação absurdamente enlouquecedora. Como resistir a tantas coisas interesantes?? Coisas que, by the way, não eram tããão diversificads na minha época de colégio (me denunciando agora.... só ñ revelo a idade, haha).
Em meio a tantos papéis, cadernos (de inúmeros tamanhos e desenhos, cheiros e cores), blocos, canetas e coisas do tipo, que faço eu????? Confesso que HOJE eu resisti e não comprei nada (também estava dura). Mas sempre que acontece de comprar (o que quase sempre acontece qd entro numa loja com toda essa vastidão), como justificar? Em casa, com novo caderno em mãos, e passada a euforia inicial da compra, me pergunto: "Por que diabos comprei MAIS UM caderno? O jeito é buscar (desesperadamente) uma justificativa aceitável. No meu caso, além do estudo, é um hábito escrever. Para mim a escrita ´um ato libertador. Aí você leitor perpicaz pensa "Mas pra que comprar caderno p/ escrever se existem blogs"? Realmente, você não está de todo errado. Mas, para mim, o ato de escrever como quando não existia computador, é mais gostoso ainda. Escrever ajuda a clarear a mente, estimula a criatividade e é um momento único de liberdade.
Sugiro a todos que façam tal experiência, irão gostar certamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário