segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

[RESENHA] Livro: Grande Magia

Olá galera!
Fim de ano chegando, e como estão os preparativos das metas para 2018? Espero que em pleno vapor! Sempre que um ano novo vem chegando nós sempre temos novas metas e objetivos, e é com isso em mente que hoje a postagem é de uma amiga, a Carol Vasconcelos. O post abaixo é todinho dela, e espero que curtam... 2018 virá com post de convidados! :)
Boa leitura!



Grande Magia – Vida Criativa sem Medo
 Autora: Elizabeth Gilbert
Editora: Objetiva
Páginas: 186

Sinopse:
De volta à não ficção, Elizabeth Gilbert compartilha histórias pessoais, de amigos e pessoas que sempre a inspiraram, e reflete sobre o que significa vida criativa. Segundo ela, ser criativo não é estar voltado exclusivamente às artes: uma vida criativa é aquela motivada pela curiosidade. Uma via mais ampla, um ato de coragem.

A partir de uma perspectiva única, Grande Magia nos mostra como abraçar essa curiosidade e nos entregar Àquilo que mais amamos: escrever um livro, encontrar novas formas de lidar com as dificuldades no trabalho, embarcar de vez em um sonho sempre adiado ou simplesmente acrescentar paixão à vida cotidiana. Com profunda empatia e generosidade, Elizabeth Gilbert oferece poderosas reflexões sobre os mistérios da inspiração.

Resenha
Quando a Dani me convidou para escrever uma resenha para o Histórias Coisas e Tal logo elegi como critério para escolha do livro a motivação que sua leitura seria capaz de propiciar afinal já é quase ano novo e estamos todos – novamente – envoltos em metas , planos e resoluções.

E foi assim, com esse critério em mente que me deparei com Grande Magia da mesma autora de um outro livro que ocupa um lugar na minha lista de favoritos: Comer Rezar Amar.

Embora em um primeiro momento o livro pareça direcionado para aqueles que lidam com criação (seja escritores, artesãos, empreendedores criativos, etc.) já adianto que ele alcança a todos, tenha você uma profissão formal ou não, seja advogado ou artista circense, seja um embaixador ou um pintor, afinal, como diz Elizabeth, dizer que uma pessoa é criativa é de uma redundância quase cômica; a criatividade é a marca da nossa espécie.

Assim, tudo o que a autora compartilha no livro, suas experiências e aprendizados, nos impulsionam a desenvolver nossas habilidades, a sair da zona de (des)conforto e a analisar se realmente queremos fazer aquilo que tanto afirmamos amar. Aliás, essa parte do livro foi uma das que mais me chamou a atenção e desde então fico me perguntando: O que você ama fazer o suficiente para conseguir suportar os aspectos mais desagradáveis do trabalho?

Grande Magia é dividia em 6 partes: Coragem, Encantamento, Permissão, Persistência, Confiança e Divindade nas quais a autora, a partir de sua experiência pessoal como escritora e também utilizando-se da história de outras pessoas como exemplo, descontrói alguns mitos sobre a criatividade, nos motiva a encarar o medo e a assumir os bônus e os ônus de nossas idéias com perseverança e dedicação.

Elizabeth Gilbert nos conta sua experiência como autora, seus aprendizados durante a jornada até o estrondoso sucesso de Comer Reza Amar e também depois dele. Nos mostra que nossos medos e inseguranças são mais comuns do que podemos imaginar, e que viver com criatividade não é algo ilusório, permeado por fantasias e rituais de inspiração, mas sim uma combinação de coragem,  trabalho duro, alegria e comprometimento.

Com diálogo direto e simples, a leitura flui de forma leve e rápida e ao concluir a última página estamos mais autoconfiantes e certos de que a criatividade para desenvolvermos nossos talentos está do nosso lado, pronta esperando nosso abraço.
Vamos realizar?


quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Snowy parte II

Olá galera!!! Tudo bem com vocês?
Um tempinho atrás eu postei um trechinho (início mesmo) do livro que escrevi e que estou em busca de editora para publicar. Dai com o bom acesso à primeira parte decidi postar mais uma continuação.
No final dele tem o link para a primeira parte, caso você não tenha lido. Espero que gostem.
E aguardo comentários, pois estão são um termômetro para saber se está bom!

"O grupo era composto de seis alunos e mais o professor. Matt Torres era respeitado no meio acadêmico. Matt estava próximo dos seus quarenta anos, tinha o cabelo cortado curtinho de cor castanho claro, no verão chegava a um tom de dourado, já que aproveitava bem as praias californianas quando não estava trabalhando. Tinha olhos azuis e sempre se vestia de maneira informal. Uma das coisas que mais curtia eram suas pesquisas de campo. Apreciava isso e ficava feliz por sua profissão lhe permitir sentir essas coisas. A sua dedicação aos estudos o fez conseguir um cargo de professor titular de Botânica na Universidade, concluiu seu mestrado, e não havia muito tempo tinha obtido o título de Doutor.
A nova pesquisa seria interessante. E esta reunião seria a primeira de todas. Matt queria colocar todos seus alunos a par do que iriam fazer e deixar tudo absolutamente decidido para poderem iniciar o trabalho. Estava na sua sala pensando no rumo que sua vida havia tomado quando todos chegaram, aparentemente animados.
- Bom dia pessoal! Espero que essa primeira reunião seja produtiva e que possamos sair daqui com todos os ajustes do trabalho resolvidos! – Matt iniciou a conversa.
Continuou mostrando as fotos da flor nos slides explicando que a Mespilus Snowy começou a surgir em abundância na região em torno da cidade de Sacramento. Há alguns meses atrás ele tinha sido procurado por moradores da região. Nunca ninguém tinha visto esse tipo de árvore com essa floração por lá. E no último ano ela vinha surgindo em grande quantidade e cada vez mais para dentro da floresta. Matt então ficou curioso e foi até Sacramento para verificar. Notou que eram muitas árvores, de médio porte, na entrada da floresta. Não conseguiu tempo suficiente para entrar na floresta e conferir se estava no período de floração. Agora meses depois montou uma equipe confiável e competente e poderiam, então, partir para um estudo mais detalhado.
A flor era branquinha como neve, com cinco pétalas pontiagudas e o miolo bem amarelo. A árvore durante seu período de floração ficava abarrotada e totalmente branca, como se estivesse coberta de neve. A flor dava em pequenos buquês. Seu fruto tinha uma coloração vermelha chegando ao arroxeado quando ficava bem maduro. Era doce e bem disputado entre aves e animais de pequeno porte.
- Nosso objetivo, portanto, é ir até lá e colhermos amostras. Devemos estudar o motivo pelo qual ela está surgindo com maior incidência nesta região. – falou Matt, encerrando suas explicações.
- Então, vamos basicamente estudar e tentar desvendar a Snowy? Talvez uma mudança climática possa estar causando esse efeito? – Paul perguntou como que se certificando.
- Esse é nosso objetivo.
- Pode ser alguma espécie tida como extinta e que tenha voltado só agora? – perguntou Anna, com curiosidade.
- Sim e não. Pode ser uma espécie antiga como pode ser totalmente nova. Ou alguma mutação. Isso que vamos tentar descobrir. Os motivos são diversos como, por exemplo, mudanças ambientais. – explicou.
Matt contou que não poderiam partir de imediato, pois ainda faltava um mês para sua floração. Pediu para que todos estudasse o material disponível enquanto aguardavam. Explicou também que deveriam ficar aproximadamente duas semanas por lá, a princípio. Dispensou o grupo desejando bom estudo.
Pela internet conseguiram em pouco tempo criar uma ótima base de dados. Além de textos, arquivaram todas as fotos que conseguiram da flor e depoimentos dos moradores sobre o assunto.
            Sophia passou boa parte do seu dia organizando todos os seus arquivos e documentos. Tinha muito papel acumulado, não jogava fora nenhum material desde o início da graduação. Agora sentia necessidade de fazer uma faxina e deixar o mínimo possível, o que fosse importante, deixando em acesso mais fácil tudo o que fosse relacionado à botânica. Era incrível como em um mês o grupo todo estava bem conectado e como, também, conseguiram reunir uma boa quantidade de material.
Todos se alojariam num camping que ficava nos arredores da cidade, pois assim quando não estivessem na floresta poderiam analisar as amostras colhidas num local que lhes dessem estrutura para tal. O camping era conhecido pelos que gostavam de aventuras, trilhas e esportes do gênero. Era simples, seguro e além de uma ampla área externa, possuía uma boa estrutura.
Antes de desligar o notebook Sophia conferiu seus arquivos para se certificar de que tudo estava ali e que não tinha se esquecido de nada. Abriu uma das fotos da Snowy e ficou observando. Gostava daquela flor que parecia um floco de neve. Desligou o computador e antes de dormir, lembrou que precisava ligar para sua mãe no dia seguinte. Deixou um bilhete preso na porta da geladeira, onde dizia “Ligar para mamãe. Avisá-la de que estarei fora!”. E foi dormir.
Deitou, mas não dormiu de imediato. Ficou pensando na transformação pela qual sua vida tinha passado. Ela vinha de uma cidade pequena, no Estado da Geórgia. Tinha ido para Los Angeles para estudar. Só visitava seus pais quando estava de férias da universidade. Anna também era de lá, e ambas sempre faziam o mesmo ritual de visitar os pais no período de férias. Los Angeles se tornou para Sophia um objetivo, sentia como se fosse o lugar em que deveria estar e viver sua vida. Pensando nessas mudanças, acabou adormecendo. E sonhou novamente com a floresta.
Novamente estava lá. O mesmo silêncio, a mesma luz do sol entrando pelo meio das árvores e chegando escassamente ao chão, desta vez bem menos. As árvores tinham troncos grossos, suas folhas eram bem verdes. A trilha, de terra batida que sempre parecia intocável continuava lá, a chamando para segui-la. E ela, sem saber o porquê, a seguia. É como se fosse algo mais do que natural seguir aquela trilha. Mas, afinal, onde iria dar? Ela não conseguia nunca chegar ao fim. Será que existe um fim? Ou será que a trilha era circular? Mas o fato é que o silêncio aterrador não a assustava, pelo contrário, atraía.
Havia algo de diferente no ar, ela podia sentir. Neblina. Havia neblina e isso não era comum. Mas, mais do que isso havia uma tensão forte, densa e diferente do usual. Sophia continuou andando sem rumo. Sua sensação era de que aquele lugar era de alguma forma, sua casa. Mas ao mesmo tempo em que se sentia à vontade também se sentia amedrontada. Todo aquele silêncio começava a se tornar perturbador. Caminhando mais um pouco avistou um tronco caído próximo à trilha, cansada, decidiu sentar e observar o lugar onde estava. Era um tronco grande, grosso, coberto de musgo e estava úmido. Sophia sentou e ao passar as mãos distraidamente por aquele tronco fechou os olhos e sentiu a vibração que emanava dele. Era como se aquele tronco estivesse passando para ela sua história, ela podia sentir seus anos de existência e consequentemente de toda aquela floresta. Ficou sentada por um bom tempo. Estava distraída quando ouviu um barulho que parecia vir do interior da floresta. Parecia um farfalhar de galhos secos, como se alguém estivesse caminhando e pisando em galhos e folhas secas espalhadas pelo chão. Da mesma forma que ela ouviu o barulho, o mesmo parou. Sophia esperou um momento, não ouvindo nada retornou. No meio do caminho ouviu novamente um grito.
Sophia acordou assustada, diferentemente das demais vezes. Não estava suando e nem com medo. Depois de algum tempo ocorreram pequenas alterações, antes não havia ruído de passos caminhando na floresta, além dos seus. Olhou para o relógio, eram quase seis da manhã, como não iria mais conseguir dormir, levantou-se." (.....)
Gostou do trecho?  O ebook está disponível na Amazon (https://amzn.to/2H2QVji)

Link para a primeira parte: http://historiascoisaetal.blogspot.com.br/2016/11/snowy-capitulo-i-sample.html

terça-feira, 14 de novembro de 2017

[RESENHA] Boneco de Neve - Jo Nesbo

Autor: Jo Nesbo
Editora: Record
Páginas: 420
Sinopse: Considerado seu livro mais ambicioso pelo jornal inglês The Guardian e comparado a Silêncio dos Inocentes, de Thomas Harris, pelo The Times, Boneco de neve é um livro arrepiante. No dia da primeira neve do ano, na fria cidade de Oslo, o inspetor Harry Hole se depara com um psicopata cruel, que cria suas próprias regras; O terror se espalha pela cidade, pois um boneco de neve no jardim pode ser um aviso de que haverá uma próxima vítima. No caso mais desafiador da sua carreira, Hole se envolve em uma trama complexa e mortal, com final surpreendente.
Garanta o seu: https://amzn.to/2GJ3osq

Antes de mais nada: AMEI demais este livro! Adoro thrillers, investigação e coisas do gênero. Livros assim na sua grande maioria prendem muito minha atenção. E com Boneco de Neve não foi diferente. Sabe aquele livro que te faz querer ler e ler e ler só mais um pouquinho antes de parar para fazer outra coisa? É exatamente esse. E o que me deixou mais louca foi o fato de você não conseguir descobrir quem é o assassino até chegar nos minutos finais do autor indicar mais claramente. 
A cena da mãe elogiando o boneco de neve feito pelo filho e pelo marido causa espanto em ambos, pois nenhum deles tinha feito um no jardim. O mais estranho era o fato do boneco estar virado para o interior da casa e não para a rua. 
Casos de mulheres desaparecidas começam a surgir em Oslo, onde se passa a estória deste livro maravilhoso. À princípio é apenas um caso de desaparecimento, porém com o decorrer da investigação, o inspetor Harry Hole descobre que não é bem assim. Essas mulheres são todas casadas e com filhos e que têm algo em comum.
Muitos anos atrás ele recebe uma carta assinada pelo Boneco de Neve, mas acaba ignorando. Um desaparecimento em uma cidade próxima tem conexão com os casos atuais. E Hole vai em busca desse psicopata. 
O mais agoniante da narrativa (super boa, por sinal), é que as pista surgem e você está todo crente achando que está adivinhando alguma coisa, quando na verdade você está bem longe de descobrir algo. Então, é aquela leitura que te instiga e te faz querer descobrir quem está 'manipulando' psicologicamente Harry Hole.
Jo Nesbo acertou muito com este livro. Foi o primeiro que li dele e pretendo ler mais, pois se forem
 nesta mesma vibe, serão certamente bons.
Terror + neve + assassinatos macabros = thriller bom com certeza!

terça-feira, 17 de outubro de 2017

[RESENHA] - Entre Quatro Paredes





Autor: B.A. Paris
Editora: Record, 252 páginas (ebook)
Sinopse: Um casamento perfeito ou uma mentira perfeita? Grace é a esposa perfeita. Ela abriu mão do emprego para se dedicar ao marido e à casa e agora prepara jantares maravilhosos, cuida do jardim, costura e pinta quadros fantásticos. É casada com Jack, o marido perfeito. Ele é um advogado especializado em casos de mulheres vítimas de violência e nunca perdeu uma ação no tribunal. Os dois formam um casal perfeito e estão sempre juntos. Grace não comparece a um almoço sem que Jack a acompanhe. Também não tem celular, que ela diz ser uma perda de tempo. E seu e-mail é compartilhado com ele, afinal, os dois não guardam segredos um do outro. Parece ser o casamento ideal. Mas por que Grace não abre a porta quando a campainha toca e não atende o telefone de casa? E por que há grades na janela do seu quarto? O que há por trás dessa relação pode revelar que tudo não passa de uma grande mentira.

E vamos ao que importa? Li em 3 dias, relativamente rápido, até por ser ebook. O livro é curto, mas é suspense a todo momento. Grace e Jack fazem um casal aparentemente perfeito. Porém, o que as pessoas não sabem é que uma certa dose de terror psicológico ocorre. A todo momento você acha que algo ruim de fato irá acontecer e também na expectativa de que Grace consiga virar o jogo.
Eu gostei do livro, porém achei que podia ser mais. Não sei exatamente o que seria esse 'mais', mas acho que minha expectativa era bem alta pelo que já tinha lido/ouvido sobre este thriller. 
O final foi bom, mas poderia ser mais grandioso, embora a torcida era para que Grace conseguisse se livrar das garras de um marido não tão perfeito assim.

domingo, 24 de setembro de 2017

[RESENHA] A Prisão do Rei


A Prisão do Rei
Autora: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte, 2007
SinopseNo terceiro volume da série que já vendeu mais de 250 mil exemplares no Brasil, tudo vai queimar.Mare Barrow foi capturada e passa os dias presa no palácio, impotente sem seu poder, atormentada por seus erros. Ela está à mercê do garoto por quem um dia se apaixonou, um jovem dissimulado que a enganou e traiu. Agora rei, Maven continua com os planos de sua mãe, fazendo de tudo para manter o controle de Norta — e de sua prisioneira.Enquanto Mare tenta aguentar o peso sufocante das Pedras Silenciosas, o resto da Guarda Escarlate se organiza, treinando e expandindo. Com a rebelião cada vez mais forte, eles param de agir sob as sombras e se preparam para a guerra. Entre eles está Cal, um prateado em meio aos vermelhos. Incapaz de decidir a que lado dedicar sua lealdade, o príncipe exilado só tem uma certeza: ele não vai descansar enquanto não trouxer Mare de volta.

Gente, demorei demais a ler o terceiro volume. Mas foi porque esqueci mesmo que tinha um terceiro e último volume, hahahaha (a louca). Depois de um ano venho eu aqui pontuar o que achei do último livro da saga.
Bem, o primeiro eu li em 3 dias, rs. Mas o último confesso de demorei um pouco mais do que isso. Até porque estou com outras leituras em andamento.
Até quase a metade do livro (que no total são 538 páginas), achei um pouco cansativo. Não que o plot não prenda, porém achei que ficou enrolando demais todo o período em que Mare fica prisioneira de Maven. O momento em que ela é resgatada é que deu um gás e me fez acelerar a leitura não querendo parar até descobrir como ia virar a situação. De Mare. De Cal. E da Guarda Escarlate. A única coisa que me surpreendeu foi a virada de Evangeline e da Casa Samos, mas nada espetacular. 
É interessante a relação de amor e ódio entre Mare e Maven, mas não me soa muito convincente. Se a ideia era deixar uma Mare dividida entre os 2 irmão nesse período em que fica presa em Whitefire não me convenceu muito. 
Mas, no geral eu gostei da trama, achei que foi bem trabalhada e em momento algum achei que algo estava sem sentindo ou algo perdido do tempo e espaço dos 3 volumes.
Quanto ao final... Eu não gostei. Talvez porque não fosse o que eu esperava.  Vamos combinar que depois de tanta confusão, guerra, briga e tal, o final poderia ser outro. Não sei a união entre Cal e Marevan seria legal, até porque creio era o fim esperado pela maioria. Deu um senso de continuidade e não amarrou, por exemplo,  o fim de Maven  (que nem ficou sub ente dido).

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

[DICAS] para ler livros em inglês

Quer ler aquele livro em inglês que não tem previsão para lançamento em português? Mas, será que é muito difícil ler em inglês?
Gente, não sou nenhuma expert no assunto, mas tenho algumas dicas que uso para leitura e que dão certo e quero compartilhar com vocês.
1 - Nunca tente ler uma frase e traduzir automaticamente em sua cabeça para o português. Eu sei que é difícil no primeiro momento, é até mesmo inconsciente porque corremos para nossa zona de segurança, que é o nosso idioma nativo. Isso, na maioria das vezes, acaba atrapalhando e pode até te confundir na leitura.
 2 - Tenha sempre junto um dicionário (ou um aplicativo) onde você possa buscar a tradução, palavras sinônimas e até mesmo o significado da palavra de inglês para inglês.
3 - Leia de parágrafo em parágrafo. Vá marcando as palavras desconhecidas. Terminou a leitura do parágrafo? Vá até o dicionário e procure por elas. Anote, seja no próprio livro, ou em um caderninho à parte (lembrando que escrever à mão e não digitar ajuda a memorizar com mais facilidade). Verificou tudo? Agora volte e leia o parágrafo novamente.
4 - Não leia querendo absorver loucamente o significado de todas as palavras. Busque o contexto geral. Qual ideia aquele parágrafo quer te contar? Absorva a informação geral, a ideia, o contexto. Não se prenda unicamente às palavras que não conhecem achando que são a chave para o enigma.

Essas são minhas dicas básicas. Claro que quanto mais nos forçamos a ler, melhor. O hábito da leitura nos traz o progresso e com certeza no meio do livro você estará compreendendo muito melhor do que  no começo!
Espero ter ajudado!!

terça-feira, 29 de agosto de 2017

RESENHA - A Teoria de Tudo

Autora: Jane Hawking
Editora: Única, SP: 2014
Páginas: 446

SinopseA história de Stephen Hawking é contada pela luz da genialidade e do amor que não vê obstáculos. Quando Jane conhece Stephen, percebe que está entrando para uma família que é pelo menos diferente. Com grande sede de conhecimento, os Hawking possuíam o hábito de levar material de leitura para o jantar, ir a óperas e concertos e estimular o brilhantismo em seus filhos – entre eles aquele que seria conhecido como um dos maiores gênios da humanidade, Stephen.  Descubra a história por trás de Stephen Hawking, cientista e autor de sucessos como Uma breve história do tempo, que já vendeu mais de 25 milhões de exemplares. Diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica aos 21 anos, enquanto conhecia a jovem tímida Jane, Hawking superou todas as expectativas dos médicos sobre suas chances de sobrevivência a partir da perseverança de sua mulher. Mesmo ao descobrir que a condição de Stephen apenas pioraria, Jane seguiu firme na decisão de compartilhar a vida com aquele que havia lhe encantado. 

Ao contar uma trajetória de 25 anos de casamento e três filhos, ela mostra uma história universal e tocante, narrada sob um ponto de vista único. Stephen Hawking chega o mais próximo que alguém já conseguiu de explicar o sentido da vida, enquanto Jane nos mostra que já o conhecia desde sempre: ele está na nossa capacidade de amar e de superar limites em nome daqueles que escolhemos para compartilhar a vida.

Antes de expor minha opinião quero dizer que primeiro vi o filme. Bastante tempo depois vim a ler o livro. E devo dizer que o filme não retrata nem metade dos relatos de Jane Hawking sobre a vida que levaram durante os 25 anos de casamento.
Terminei a leitura com muita coisa fervilhando na minha cabeça. O quão altruísta uma pessoa pode ser? Até onde chegam nossos limites de se 'anular' em prol de outra pessoa? Fiquei pensando que muitos do problemas, que achamos que achamos que são enormes ficam um pouco pequenos ao ler o relato de luta que ambos passaram ao longo desses anos.
Sinceramente não sei determinar se achei que Jane, por um amor incondicional à Stephen, estava certa ao tomar para si toda a responsabilidade da doença progressiva do marido, deixando sua carreira de lado. E se ele, por outro lado, foi 'desdenhoso' em termos de consideração pelo que ela abriu mão e deixou de viver individualmente por causa dele. 
No decorrer da estória percebemos a disposição infinita de Jane para com Stephen e sua consciência para, tanto ser aceita no clã Hawking, quanto para provar (para si mesma, para Stephen ou para os outros?) fazer  a vida acontecer como uma família.
Achei seu relato apaixonado, desconcertante, angustiante e frustrante em relação a todos os momentos que passaram ao longo da vida.
Minha ressalva é sobre a própria Jane Hawking e não ao seu marido gênio: a força e a determinação de uma mulher que lutou pelo que acreditava, não só pelo conceito de família (por ser uma pessoa religiosa), mas pelo amor irrestrito, muitas vezes se anulando para que Stephen ficasse o melhor possível dentro do seu quadro de ELA. Vejo nela a imagem de mulher forte, que mesmo sob todas as críticas e ofuscação de holofotes, estando sempre em segundo plano, soube dar a volta por cima e construir uma vida para si após toda sua juventude e vida adulta dedicados ao marido.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

O Poder do Agora - Resenha


 Autor: Eckhart Tolle
Editora: Sextante, 2002
Páginas: 220

E vamos para mais uma resenha? Li este livro por recomendação da minha amiga Carolina Vasconcelos. Comprei no formato ebook, pela Saraiva.
E em um mundo em que se fala em mindfullness, uma busca pelo nosso eu interior e coisas do gênero (o que acredito que esse mundo anda precisando porque né...). Eckhart Tolle nos dá uma luz sobre algumas coisas que podemos fazer e perceber dessa vida louca que levamos hoje em dia. Eis o que consegui captar do seu ensinamento (o texto bem resumido é meu mesmo, rs).

Não deixe que sua mente tome controle de você. Achei também estranho quando li, porque pensei "ué, mas se é a minha mente, eu que controlo ela não?". Pois é, segundo Tolle a mente nos domina com uma enxurrada de pensamentos durante todo o dia. Você nunca se pegou pensando em várias coisas que deveria fazer mesmo que estivesse fazendo outra coisa? Então, é isso que ele quer dizer que a mente nos controla e não o contrário. E ele tem razão.
Quando nós conseguimos interromper um pensamento, ocorre uma interrupção do fluxo mental, fica um espaço de "mente vazia". Conforme praticamos isso, essa interrupção, esses espaços de mente vazia vão ficando mais longos. Dessa forma percebemos o estado de pura consciência.
No estado iluminado (onde aqui ele diz que a Iluminação é o estado de plenitude e paz), continuamos a usar a nossa mente, porém de modo mais focado e eficiente.
Tolle diz que  tempo é uma ilusão. Aposto que você também pensou "quantas ele fumou?". Mas pela forma como ele coloca, sim, o tempo pode ser mesmo uma ilusão. Ele diz que a maioria das pessoas tendem a se prender a 2 tempos: passado e futuro, impedindo assim de sentir e vivenciar o Agora, que é o que de fato importa. 
O passado está lá atrás e não pode ser modificado (não temos uma máquina do tempo não é mesmo?) e o futuro são projeções da nossa mente, onde não necessariamente as coisas irão acontecer. O que ele diz é que devemos apenas tirar lições e aprender com o passado e deixar ele quietinho lá no tempo dele, o próprio passado. E quanto ao futuro, podemos sim fazer planos, mas sem nos prendermos a isso para não gerar frustrações e não vivermos apenas vislumbrando como pode ser o futuro sem que se viva o Agora.
Assim devemos direcionar nossa atenção para o momento presente, este é o que importa. Este é o que vivemos. Avalie o que está sentindo, para onde você direciona o seu pensamento. E se ele está muito distante do momento presente, tente trazê-lo de volta. É um bom exercício. Mantenha a atenção total e plena na atividade que está executando, viva-a.
O poder do Agora é estar totalmente presente e consciente do seu corpo e daquilo que está fazendo. Procure se conectar com seu corpo, com o seu eu interior e buscar paz dentro de si. Relaxar e fazer uma meditação (10 minutinhos do seu dia) ajudam a centrar e tomar consciência de si e a sentir o momento presente.






segunda-feira, 31 de julho de 2017

Segundo idioma - aprender ou não?

 Já ouviu a famosa frase "você não fala inglês?" ou "pra que você está estudando russo menina?".
Ai paramos para pensar na questão. Na minha opinião aprender um outro idioma não significa ter status, ou ser mais importante ou qualquer outro motivo besta. Na minha opinião aprender um outro idioma aumenta suas chances profissionalmente. 
Quantos porcento da população mundial tem o português como língua nativa? Pouquíssimos, é fato. Infelizmente  o idioma desse mundo louco e globalizado em que vivemos ainda é o inglês (a muitos anos escuto dizer que o Mandarim que vai bombar.... ainda estou esperando para ver). 
Percebo que de um tempo pra cá o inglês nem é tipo como 'diferencial' em um currículo, subentende-se que a pessoa já o domina (ou tem noções para se comunicar). Quando eu terminei meu curso de inglês (alguns muitos anos atrás, rs) o inglês se destacava no currículo. Hoje vão procurar outro idioma além dele. Ahn, tudo bem que dependendo da sua profissão, de sua área de atuação tudo isso pode mudar, mas ainda assim, há a necessidade de noções básicas ao menos.
Há quase 6 anos sou professora desse afamado idioma, e o que mais vejo são pessoas buscando o idioma porque tem que ter, gostando ou não. Isso tem sido bem comum.
Mas ai eu te pergunto: e o idioma que você realmente tem paixão, onde fica? Não o deixe para trás, nunca. Se o inglês é necessidade, o idioma que você gosta pra valer é lazer . 
Não deixe que outras pessoas desdenhem de você só pelo fato de você estar estudando sânscrito (ou qualquer outra língua "menos visada"). Meu conselho é: caia de cabeça!!! Não há nada mais gostoso do que aprender um idioma (ou qualquer outra coisa) que se tenha paixão!
Eu fiz os meus 7 anos de inglês e depois caí dentro da paixão linguística da minha vida: italiano. E ai de quem perguntasse o motivo com aquela cara de nojo, rsrsrs. Minha última tentativa de aprendizado, e digo tentativa porque precisei parar por conta de tempo e $$, foi o árabe. E aí você vai pensar "ai a louca, árabe?" (sei que pensou isso, pode confessar). Digo, sim, árabe. É lindo, a cultura é linda, meus estudos são sobre cultura árabe, fiz dança do ventre por anos... É algo que soa belamente ao meus ouvidos.
Então amores, estudem o danado do inglês pra terem melhores chances profissionais e caiam dentro daquele idioma que você sabe que pode não usar com frequência, mas que você ama!

P.S.: Penso em colocar umas aulinhas básicas de inglês aqui e no youtube, que acham?

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Seja mais Produtivo

Vamos falar sobre produtividade? Hoje em dia ouvimos muito que devemos produzir, que devemos ser produtivos, que sem produtividade nada rende... Depois de ler a respeito, decidi listar algumas coisas que podemos fazer para termos a tão sonhada produtividade. Vem conferir:

1- Planeje seu dia na noite anterior. Reserve 15 minutos da sua noite, antes de dormir, para organizar o dia seguinte. Liste todas as tarefas que precisa executar. Busque a ferramente que melhor se adapta a você e sua rotina (seja ele um aplicativo, agenda tradicional, planner, bullet journal, etc).
2- Comece o dia realizando as tarefas mais chatas e mais longas. Geralmente é quando estamos mais dispostos e assim já eliminamos de cara coisas que não estamos a fim de fazer.
3- Uma tarefa de cada vez - sempre existem tarefas que são mais importante do que outras. Dê atenção a essas, realize uma por vez até que estejam concluídas.
4- Tarefas de 2 minutos - se alguma das suas tarefas levar menos de 2 minutos para ser realizada, faça-a sem que precise anotar em sua lista, pois estas não precisam ser planejadas.
5- Tenha sua lista de tarefas sempre à vista, pois assim não há procrastinação e facilita no momento de enrolar como se não houvesse nada para fazer.
6- Crie a lista "para mais tarde" - ao longo do dia, enquanto realizamos as tarefas planejadas, outras tarefas vão surgindo certo? Para que essas novas tarefas não o atrapalhe anote-as em uma outra lista para que sejam realizadas posteriormente.
7- Seja eficaz - a eficácia está relacionada a realização de tarefas que realmente importam, de forma rápida e com qualidade.
8- Defina suas prioridades, a procrastinação ocorre quando não vemos sentido no que temos para fazer. Para que a procrastinação seja eliminada defina quais são suas prioridades e o motivo pelo qual realizar tal tarefa.
9- Acorde mais cedo do que o costume e ganhe tempo para realizar todas as tarefas programadas.
10-  Meditação - medite, pois a meditação ajuda a limpar e acalmar a mente. Ajudará a trazer sua consciência fazendo-o lembrar de suas prioridades e  motivo que elas existem.
11-  Energia - descubra em que momento do dia você está com sua energia em alta e use-a a seu favor.
12-  Seja organizado, pois a produtividade e a organização são irmãs gêmeas. Para se tornar uma pessoa produtiva é preciso que sua vida seja organizada.
13- Diga "não" mais vezes, pois quando tentamos ajudar todas as pessoas não sobra tempo para nos ajudar. Sendo assim dizer "não" faz com que você tenha tempo para você e para realizar suas tarefas.
14- Acabe com as distrações. Estabeleça um horário para acessar todas as suas redes sociais. Esqueça que elas existem por um tempo e foque no que importa de fato.
15- Domine suas habilidades. Sempre existe algo que sabemos fazer melhor  do que outras pessoas. Foque nessa habilidade, pois esta será essencial para seu sucesso.
16- Faça - pessoas produtivas não ficam pensando em como começar a fazer tal coisa. Simplesmente pegue a tarefa e comece a executá-la e no seu decurso você acabará encontrando um modo melhor de realizá-la.
17- Durma bem. uma boa noite de sono é obrigatória para pessoas produtivas e que almejam a produtividade. Lembre-se que não é a quantidade e sim a qualidade do seu sono. Dormir bem e acordar descansado ajuda no dia a dia.
18- Use o "se, então" - é comum estabelecermos horários para cumprir tal tarefa, porém acontece de não conseguirmos realizar. Quando isto ocorrer pergunte "Se não fiz naquele momento, então quando farei?"
19- Crie o hábito de ser produtivo. Nenhuma ferramenta o fará produtivo se você não desenvolver esse hábito, dia após dia, aos poucos o hábito se cria. Foque e não desista. 

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Organizando o seu estudo

Todos nós precisamos estudar, correto? Na teoria e na prática, rs. Então venha conferir algumas dicas que podem ajudar o seu estudo render e se tornar mais prazeroso.

* Mentalização - dizer que estudar é chato e entediante não irá ajudar e absolutamente nada, a não ser atrair negatividade. Portanto, pense que os estudos irão lhe render bons frutos e conhecimento para toda a sua vida. Se interesse pelos assuntos que precisa estudar.
* Agenda - seja organizado com o seu tempo. Crie um calendário e um cronograma para os estudos. Respeite seus horários. Criar metas diárias ajudam a motivar e progredir nos estudos e a completar objetivos definidos com mais facilidade. Quando visualizamos o progresso do estudo isso nos faz ver efetivamente o quanto já foi estudado e o quanto ainda falta.
* Intervalos - não estude por horas a fio. Faça intervalos para descansar seu cérebro e seu corpo (use o método Pomodoro, é super eficaz!). O descanso é necessário para armazenar as informações no cérebro. 
* Ambiente - procure um bom ambiente para estudar, é essencial para a concentração. O mais importante é encontrar um lugar tranquilo, sem distrações e fugir de lugares confortáveis demais para que não induza ao sono. Tenha um local organizado, pois isso facilita o estudo e evita perda de tempo procurando seu material. agiliza o aprendizado e evita a famosa procrastinação. Além do material é importante que você tenha o conteúdo que vai estudar organizado para não perder mais tempo pensando no que irá estudar. Dessa forma você facilita a rotina evitando a perda de tempo.
* Relaxe - antes de começara estudar, respire fundo várias vezes e limpe sua mente de todos os problemas e preocupações que estão na sua cabeça. Para estudar é necessário que haja concentração.
* Lanche - deixe sempre uma fruta e/ou um lanche e água perto de você. Assim você evita distração por fome ou que precise levantar para buscar algo para comer e assim se distrair e desconcentrar.
* Reescreva - tome notas enquanto estuda, isso ajuda o seu cérebro a memorizar os pontos mais importantes do assunto estudado. Facilita na hora de fazer aquela revisão da matéria.
* Prioridade - a maioria das matérias tem um ponto central, comece por ele até que o tenha dominado. Depois disso parta para os segmentos a ele relacionados. Fica mais fácil memorizar quando já se conhece os assuntos relacionados.
* Faça associações - abuse de siglas e associações, estas irão ajudar a memorizar e lembrar os assuntos já estudados.
* Sem redes sociais - distração que está no topo da lista. Evite checar as mensagens que chegam para você a todo momento. Dê prioridade. Procure aplicativos gratuitos que fazem bloqueio temporário desses sites para que você possa estudar sem incômodo e sem perder a concentração.

E ai, qual dessas dicas você já utiliza? Quais achou mais interessante?
Vamos agregar sugestões para que nossos estudos rendam cada vez mais!

quarta-feira, 12 de abril de 2017

#RESENHA: Corte de Espinhos e Rosas

 Autora: Sarah J. Maas.
Editora: Galera, RJ, 2005.
Resumo: Dois mundos divididos por uma muralha. De um lado, humanos, do outro, feéricos. Um tratado sela a paz entre ambos. Em um mundo sem esperanças Feyre, a mais nova das 3 filhas de um mercador falido, promete a mãe no leito de morte, que cuidaria da família. Em tempos dificeis e inverno rigoroso, Feyre segue floresta adentro em busca de caça (cada vez mais escassa). O que ela não sabia era que o lobo que havia matado mudaria sua vida. Uma criatura bestial invade o pobre chalé onde vive com a família e pelo tratado dos 2 mundos a exige para que sua família, e ela, sobrevivam.
Contrariada Feyre segue para as terras mágicas e descobre que seu captor é um Grão Senhor da Terra Primaveril. Tamlin a deixa livre pelas suas terras, porém não a deixa a par dos problemas que estão surgindo no mundo feérico.
Tendo que se conformar com sua condição ela passa a conhecer Tamlin melhor, apaixonando-se por ele, e vice-versa. Enquanto eles começam a se descobrir tê que lidar com uma antiga sombra que vai avançando sobre o mundo feérico e para que seja detida Feyre precisa demonstrar seu amor pelo Grão Senhor.

A leitura e o texto são envolventes. A autora soube como captar a atenção do leitor. Quem espera encontrar uma releitura de A Bela e a Fera tal como a conhecemos pode se decepcionar. A autora soube criar um universo o qual nada se parece com o do original da Disney. Poucos são os fatos que nos remetem à ele e que podemos "comparar". 
Na minha opinião, o livro se destaca pelo universo mágico criado pela autora dando um ar diferenciado a já clássica estória conhecida por todos nós.
E que venha o segundo volume!

quarta-feira, 29 de março de 2017

Novo Bullet Journal

Olá!  Demorei, mas voltei pessoal.
Março finalmente indo embora e abtil chegando. Mas o que isso quer dizer? Quer dizer que o meu bloco trimestral da Acraft tetminou, enfim, e agora é o momento de mudar de caderno. Bem, eu poderia continuar usando a capa do ACraft com um novo caderninho quadriculado  (como trm lá o mru de rastreios e controle do youtube).
Só que eu quis fazer uns testes. E o que é o bullet journal senão a praticidade de cria-lodo nosso jeito? Pois bem, deixei meu traveller's notebook um pouco de lado para usar um caderno  novo pautado.  Sim, pautado. Quando bati o olho nele pensei  "por quê não usar esse modelo?". É bem novo o formato, pois além de pautado o tamanho é diferente (24,4 x 18cm). É  grande? Sim, é  grande, masvai me dar a possibilidade de testar layouts que o meu traveller regular não  me dá.  E neste momento sinto vontade disso. Provavelmente dará para 3 meses  (são  80 folhas), mas já  pensei que, se não gostar mudo suaa função, de bullet journal passará a ser apenas para journaling. E então o bujo volta para o Traveller's Notebook sem o menor problema.
O que quero dizer a vocês que se preocupam com o caderno perfeito,  que tem que ser isso ou aquilo senão  não pode, tem que ter tamanho tal, caneta asssim e assada, é que o importante mesmo é  fazer aquilo que te faz bem e que, principalmente,  funciona e cumpre o seu propósito, que é mantera organização.
Então,  amores, se joguem  sem medo. É  tentativa de erro e acerto. Encontre o seu e caia de cabeça.
Abaixo fotos do que virá para o próximo mês no meu novo  bujo.



terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Level 10 Life/ Miracle Morning

Olá pessoal! Tudo bem com vocês?
Vamos falar sobre o Level 10 Life e o Miracle Morning?
Postei um vídeo agorinha falando sobre isso (https://youtu.be/8FMuK4MvfQQ ).
Para quem é adepto do Bullet Journal provavelmente conhece o canal da Kara Benz (Boho Berry), e lá ela mostra o Level 10 Life e fala do Miracle Morning (bem como no blog dela http://www.bohoberry.com/?s=level+10+life e http://www.bohoberry.com/?s=miracle+morning).

* O Level 10 Life nada mais é do que um gráfico onde você coloca 10 espaços de preenchimento para cada um dos 10 tópicos. Em uma outra página você determina metas para cada tópico, e, conforme você vai se sentindo satisfeito com o cumprimento dessas metas você colore (ou rica, ou faz da forma que achar melhor), até atingir o nível máximo que é o 10. Segue abaixo uma foto do que eu fiz de demostração.
 (aqui você pode fazer na forma visual que mais te agradar)

 (aqui é onde você define as metas para cada tópico)


* Miracle Morning - rotina matinal baseada no livro de mesmo nome do autor Hal Elrod. O autor sugera o passo-a-passo chamado "S.A.V.E.R.S.). A descrição de cada letra segue abaixo. Vale lembrar que tirei diretamente do site da Kara Benz (www.bohoberry.com), o link direto para a resenha dela do Miracle Morning está no início do post, aqui estou fazendo a tradução para entendermos do que se trata.
S - Silence (Silêncio) - meditação, reflexão, uma forma de se sentar em silêncio e alcançar um senso de paz interior para começar o dia.
A - Affirmation (Afirmação) - são basicamente mantras que você repete para si, uma forma de mudar sua "programação". É um jeito de mudar os pensamentos negativos e crenças que temos sobre nós mesmos que costumamos carregar conosco.
V -  Visualization (Visualização) - trata-se de um treino diário, a prática de criar imagens mentais de comportamentos específicos e os resultados disso que ocorrem na vida.
E - Exercise (Exercício) - exercícios físicos todos os dias, mesmo que uma caminhada de 10 minutos.
R - Reading (Leitura) - é a chave para aprender com os especialistas, para chegar onde se deseja e se inspirar em pessoas que são modelo para você.
S - Scribe (Escrever) - tirar um tempo para colocar pensamentos e sentimentos no papel para ajudar a clarear a mente.

Pessoal, espero ter podido ajudar vocês a clarear as ideias sobre esses dois tópicos bem falados entre a galera que acompanha a Kara no Boho Berry.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Resenha: Planner ACraft

Vamos falar sobre o planner da ACraft?
Sou um pouco suspeita para falar de modelos de Travellers Notebook (pois eu amo de paixão!).
Eu via o pessoal falando de ACraft pra cá e pra lá e fui ficando curiosa, mas pensei "como todo planner deve ser caro!". Ai fui vendo as fotos das meninas no facebook e o bichinho da curiosidade me pegou! Fui no site ver e a minha surpresa foi o preço: super acessível! O meu (em dezembro) custou R$38,00 (e eles estão sempre colocando capas novas e lindas). Quando eu vi a capa vermelha com dente de leão ai eu apaixonei e não teve jeito, tive que comprar! Hahahaha.

A capa é de couro, bem estruturada, pois entre a capa externa e a interna dá pra ver que tem um forro, o que permite ser resistente. É super macia e maleável, a textura é uma delícia e na parte de trás tem a logo em baixo relevo. Dentro tem 4 elásticos, um para cada caderno (mas pode-se acrescentar mais se quiser). Os elásticos são bem firmes e dá estrutura aos cadernos inseridos, o que é ótimo.
 (acho que foi a luz que bagunçou o vermelho lindo da minha capa :/, mas dá pra ver a marca né? )

Sobre os blocos internos. Eu comprei somente o bloco do primeiro trimeste (jan, fev, mar), pelo simples motivo de nunca ter experimentado usar o modelo de planner (pois eu amo o Bullet Journal). Eles tem disponível blocos para os 4 trimestres do ano, podendo assim completar o ano com 4 cadernos. Eu comprei a capa em kraft (mas tem estampada também!). Estou usando ele, e na minha opinião (e gente isso vai muito de gosto e adaptação) o espaço é muito limitado e apertado, não curto porque fico sem espaço para anotações aleatórias do dia. Como não gosto de começar e largar no meio do caminho eu vou me ajustando ao modelo. Aproveito a página pontilhada (que aliás o espaçamento é grande demais) no final de cada mês para anotar o que acho necessário e que não coube na página da semana. Há quem goste dessa delimitação, mas sou adepta à liberdade de espaço, rs. O material do bloco é bom, gostei muito das abas com a marcação dos meses, o que facilita bastante. A pasta plástica e a de kraft eu não comprei com eles, fiz uma troca com uma menina em um grupo do facebook. Adorei a pasta plástica, acho muito prática e dá pra colocar adesivos e qualquer outra coisa que seja necessária. A pasta de kraft achei um pouco fraca, mas cumpre sua função, guardo nela alguns papéis avulsos para notas. 


No geral, eu amei a capa. É maravilhosa, vale o preço. E é super resistente para levar na bolsa no dia a dia. Eu já carreguei comigo e cabe super bem na bolsa, sem contar que não faz muito peso, mas isso, é claro, depende do que você coloca dentro dela não é mesmo? Se tiver 6 cadernos mais as pastas é claro que vai pesar, rs.
Mas vale o custo benefício. O link direto para a lojinha está logo abaixo. Ahn vale lembrar que eles tem várias outras coisinhas fofas de papelaria à venda lá também!
https://www.acraft.com.br/





terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Resenha Deiadoris

Olá meninas e meninos!

Como eu já mostrei em diversos vídeos (praticamente todos eles até agora) pelo meu canal no Youtube ( https://www.youtube.com/channel/UC21lX-xf42cJMJJznsyPaYA) eu adoro o sistema de elásticos do Travellers Notebook. Acho super prático poder inserir vários caderninhos nele de acordo com a necessidade. Eu gosto muito para Bullet Journal (já tem post sobre o Bullet!), e sempre mantenho um simples sem pauta para anotações gerais.
Eu uso o Deiadori, desenvolvido pela Déia Dietrich (www.deiadietrich.com), modelo que ela desenvolveu feito de tecido nos moldes do tradicional Midori (ou travellers notebook). Eu gosto tanto deles que tenho os 3 (um modelo de cada tamanho!). Vem dar uma olhada nas fotos (dos meus fofos) e conferir minha opinião sobre eles.
 Esse é o meu Deiadori tamanho regular (21,5x11,5cm). Achei essa estampa de balões a fofura master. Ele é todo de tecido, super bem estruturado. E o melhor de tudo é que é lavável! 

Ele por dentro é assim gente: também de tecido com  bolso interno para guardar coisinhas fofas que você venha a usar no seu planner e/ou bullet journal. O elástico que  vem nele cabem dois cadernos, porém você pode inserir mais 4 cadernos usando um simples elástico de prender dinheiro mesmo (aqui nesse vídeo a própria Déia explica como fazer:https://www.youtube.com/watch?v=194FGCgFkZI&t=1s). É super fácil e não tem mistério). Se quiser pode usar o mesmo tipo de elástico que vem nele pra ficar mais bonitinho, rs. Eu fiz isso no meu). 

Esse de raposinhas é meu também, e ele é tamanho A5 (21,5x15cm). O formato dele por dentro é exatamente igual ao regular de Balão. Ahn, esqueci de mencionar que todos eles tem um elástico porta caneta do lado de fora, o que eu acho bem  prático quando levamos na bolsa para algum lugar. A caneta fica sempre à mão. Só tem uma coisa que não curto muito, e isso é  gosto bem pessoal: o tamanho, acho grande demais pra carregar na bolsa, daí ele fica em casa. Como o meu está bem gordinho fica pesado também. Optei por deixar caderninhos com informações que não preciso levar comigo diariamente. O que é importante vai no regular que cabe de boa na bolsa.



 


No geral eu super indico a compra com a Déia do deiadori, porém aconselho a verificar qual tamanho é o melhor para você, quais os propósitos de uso também, pois isso é bem importante.  O trabalho da Déia  é super bem feito e as peças são super bem acabadas. Na minha opinião superou as minhas expectativas e eu simplesmente adoro usá-los. O meu xodó é o regular de balão, não abro mão de jeito nenhum, pois pra mim é o mais prático e com tamanho ideal para levar comigo para onde quer que eu vá.
Ahn, exceto o tamanho passaporte, os outros dois eu tenho os bolsos de plástico (que ganhei de mimo da Déia) e para quem carrega muito adesivo e papel avulso eu recomendo ter para que não fique tudo caindo pelos bolsos que vem eles. A foto está logo abaixo :-)
Espero que tenham gostado e que essa análise/opinião tenha ajudado de alguma forma. 
Quero saber a opinião de vocês: qual o melhor tamanho? Você já tem um deiadori? Me conta sua experiência!




quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Comprar no Ali Express vale a pena?

Quem não gosta de fazer uma comprinha não é?
E quem não fica tentando quando é barato e o frete é gratuito?
Ahn, pois é, se você respondeu sim a uma dessas perguntas, bem vindo ao clube dos compradores do Ali Express, rs.
Muitas pessoas questionam se realmente vale a pena. Eu compro lá e gosto. As minhas comprar são somente no setor de papelaria (que tem uma infinidade de coisas). Nada do que comprei até agora foi de qualidade ruim. Tudo está em uso. 
A única coisa chata, que foi o 'susto' da galera nesse janeiro é que praticamente tudo agora está sendo cobrado frete. Tá, o frete é menos de 2 dólares, mas vamos combinar que 2 dólares não são 2 reais, e isso acaba influenciando no valor final da compra, porque na maioria das vezes o valor do produto é menor que o valor do frete. Dá pra entender isso? Rsrs...
Mas, enfim, vamos falar do procedimento...
A compra demora? Siiiiim, demora demais! Pode levar meses pra chegar na sua humilde residência, como pode também, por sorte, chegar rapidinho (considere isso 1 mês). Eu nunca tive problema e sempre recebi tudo que comprei, mas conheço pessoas que nunca receberam suas compras e/ou que chegaram 1 ano depois.
Mas qual o motivo dessa demora? Bem, o vendedor te envia o produto geralmente no dia seguinte a confirmação do pagamento. Chega no Brasil em 15-20 dias. Vai direto para Curitiba e lá caros amigos, perde-se no armário de Nárnia da alfândega, rsrsrs. Acredito que o volume de mercadorias deva mesmo ser grande e passa por um processo de verificação (até pra verificar se será taxado ou não, o que dá outra estória). O produto chega no Brasil, mas se perde em Curitiba. Daí é sempre um tiro no escuro porque você nunca sabe quando eles vão liberar e finalmente chegar na sua casa. Essa é a parte mais chata de tudo isso.
Portanto, digo a vocês que se há pressa na compra, não comprem, pois vai demorar mesmo para ser entregue. Vários dos produtos que vendem lá você pode encontrar à venda na sua cidade ou lojas virtuais, claro que com o preço maior (afinal as pessoas precisam ter lucro certo?).
Vale ler as avaliações das pessoas que compram com a loja que você está visitando no Ali, se teve vendas já daquele produto, e, se houver dúvida pergunte ao vendedor antes de fechar a compra. Eles sempre respondem rapidamente, sem contar que tem um chat online para dúvidas e reclamações. Então, meu conselho é que sempre pesquise antes de comprar. E, ahn, compre com a opção de boleto bancário, não sei exatamente o motivo, mas dizem que é melhor.
Essas são minhas dicas e colocações sobre compras no Ali Express. Espero ter ajudado. :-)