segunda-feira, 21 de maio de 2018

Snowy, meu livro

Olá pessoal!!!!

Hoje venho bem feliz dar boas notícias!!!! O livro que escrevi um tempinho atrás finalmente foi publicado hoje na Amazon no formato ebook para o Kindle!

E qual a sensação, você deve estar se perguntando... Ainda não sei explicar, é aquela de "é isso mesmo? E agora, será que as pessoas vão gostar"?
Acho que é normal bater essas dúvidas e tantas outras, porém, de nada adianta escrever e não espalhar para o mundo ver, certo?

Segue abaixo o link para compra e a foto da capa para vocês conferirem!

Link :www.amazon.com.br/dp/B07D6SRXF3


quarta-feira, 9 de maio de 2018

RESENHA: Perdido em Marte


Autor Andy Weir
Editora: Arqueiro
Páginas: 336
Gênero: ficção científica
Nota: 4/5

Sinopse: Há seis dias, o astronauta Mark Watney se tornou a décima sétima pessoa a pisar em Marte. E, provavelmente, será a primeira a morrer no planeta vermelho. Depois de uma forte tempestade de areia, a missão Ares 3 é abortada e a tripulação vai embora, certa de que Mark morreu em um terrível acidente. Ao despertar, ele se vê completamente sozinho, ferido e sem ter como avisar às pessoas na Terra que está vivo. E, mesmo que conseguisse se comunicar, seus mantimentos terminariam anos antes da chegada de um possível resgate. Ainda assim, Mark não está disposto a desistir. Munido de nada além de curiosidade e de suas habilidades de engenheiro e botânico – e um senso de humor inabalável –, ele embarca numa luta obstinada pela sobrevivência. Para isso, será o primeiro homem a plantar batatas em Marte e, usando uma genial mistura de cálculos e fita adesiva, vai elaborar um plano para entrar em contato com a Nasa e, quem sabe, sair vivo de lá. Com um forte embasamento científico real e moderno, Perdido em Marte é um suspense memorável e divertido, impulsionado por uma trama que não para de surpreender o leitor.

Para quem curte livros de ficção científica com uma pegada menos teórica esse é o livro! Acompanhamos aqui a rotina de Mark Watney após ele se recuperar de um acidente e se ver sozinho em Marte. Ele se vê sem comunicação com a NASA e diante de um monte de obstáculos para sobreviver. O que nos prende a essa narrativa é a forma bem humorada do astronauta e a forma como ele desenrola os problemas que enfrenta no meio do caminho. O formato de diário de bordo criado pelo autor, na minha opinião, foi uma excelente sacada para vermos toda a situação pelos olhos de Mark. 
O desenrolar da trama é bem construído e nos deixa tenso em várias situações até o derradeiro momento onde vamos descobrir se ele consegue ou não ser salvo.